SPECIALISTERNE NO MUNDO

Rede internacional de escritórios

Fundação Specialisterne

A Specialisterne Foundation é uma fundação sem fins lucrativos com o objetivo de criar um milhão de empregos para pessoas com autismo / neurodivergentes por meio do empreendedorismo social, do engajamento do setor empresarial e de uma mudança global de mentalidade.

FUNDAÇÃO SPECIALISTERNE

l
l
Home |

Autismo e trabalho: a importância de sensibilizar as empresas

por | jul 5, 2022

Para nós da Specialisterne, uma parte essencial do processo de inclusão profissional das pessoas no espectro autista está na formação da empresa.

 

Frequentemente, se pensa que é suficiente proporcionar à pessoa autista as ferramentas técnicas e socioprofissionais adequadas para realizar uma série de tarefas específicas e compreender o funcionamento do ambiente empresarial, mas não é assim.

 

Na Specialisterne, buscamos ver a inclusão com um processo baseado na reciprocidade.

 

Reciprocidade na compreensão da realidade, nas diferentes maneiras de socializar e se comunicar, no processamento sensorial do outro.

A inclusão profissional é, muitas vezes, reduzida a um processo de mão única, no qual o maior esforço é exigido apenas da pessoa com autismo. Mas quando a pessoa entra em uma empresa que não conhece a realidade do autismo, e sobretudo que não é sensível a este movimento recíproco de compreensão do outro, corre o risco de se deparar com problemas que podem criar dificuldades e levar ao esgotamento (Burnout).

 

Preparar a empresa, conscientizar as pessoas sobre a diversidade de características, incluindo as características neurológicas expressas pelo conceito de neurodiversidade, entender o funcionamento neurodivergente e relacioná-lo como uma das muitas expressões possíveis da neurologia humana, é a base do talento e das qualidades das pessoas autistas podem emergir e florescer livremente, o que representa uma vantagem real para toda a empresa.

 

Isso é demonstrado pelos muitos feedbacks que recebemos, e que confirmam como aderir a uma abordagem baseada na reciprocidade, na qual tentamos ir em direção ao outro, é o motor da mudança positiva que se reflete não apenas nas pessoas com autismo, mas em toda a equipe. Este processo nos obriga a questionar os procedimentos, as ferramentas de medição e os métodos de comunicação que sempre assumimos, nos tornando conscientes de como uma atitude aberta e respeitosa perante as diferenças é um fator de crescimento não só profissional, mas também pessoal e social.

 

A sensibilização das empresas nas quais as pessoas irão trabalhar por meio da Specialisterne é realizada em vários níveis para ser o mais efetiva e profunda possível.

 

O primeiro nível é o que envolve toda a equipe da empresa cliente. Neste primeiro momento, tratamos de transmitir um conhecimento geral tanto do autismo e de suas características essenciais, como da ideia da neurodiversidade, necessária para deixar de ser uma visão baseada nos déficits e abraçar uma perspectiva que vêem diferenças em um potencial, sempre respeitando as características da pessoa.

Passamos logo aos encontros específicos com os responsáveis de recursos humanos, porque sabemos com que frequência as pessoas autistas encontram barreiras de entrada ao mundo laboral criadas precisamente pela padronização dos processos de seleção, desenvolvidos para pessoas neurotípicas, isto é, não autistas. Logo, trabalhamos junto com os gerentes e team leaders, para lhes brindar uma visão que lhes permita uma gestão da equipe que não prejudique as pessoas neurodivergentes mas que, pelo contrário, seja capaz de ressaltar e desenvolver suas habilidades. Finalmente, o caminho acaba com a equipe do que irão fazer parte candidatos e candidatas propostas pela Specialisterne, porque o funcionamento fluido e respeitoso das relações entre companheiros de trabalho é de vital importância para o êxito de um processo de inclusão mútua e baseado na coexistência de pessoas com características frequentemente diferentes.

Esta parte do processo de inserção laboral, esta sensibilização que envolve a empresa em todos os níveis, se converte assim em um elemento fundamental para que cada pessoa, independentemente de seu funcionamento neurológico e de seu rol, possa se sentir parte de uma comunidade e crescer com ela, contribuindo ativamente para a criação de um ambiente inclusivo, aberto e inovador.

 

O primeiro nível é aquele que envolve toda a equipe da empresa. Neste primeiro momento, procuramos transmitir um conhecimento geral tanto do autismo e das suas características essenciais, como da ideia de neurodiversidade, necessária para nos afastarmos de uma visão baseada nos déficits e abraçarmos uma perspectiva que vê potencial nas diferenças, sempre respeitando as características da pessoa.

Passamos então a reuniões específicas com os responsáveis ​​por recursos humanos, pois sabemos com que frequência as pessoas com autismo encontram barreiras de entrada no mundo do trabalho justamente pela padronização dos processos seletivos, desenvolvidos em pessoas neurotípicas, ou seja, não autistas. Depois trabalhamos em conjunto com os gestores e líderes de equipe, para lhes proporcionar uma visão que lhes permita gerir a equipe, sem prejudicar as pessoas neurodivergentes mas, pelo contrário, seja capaz de realçar e desenvolver as suas habilidades com a equipe que os candidatos propostos pela Specialisterne farão parte.

Esta parte do processo de inclusão profissional, esta sensibilização que envolve a empresa em todos os níveis, se converte em um elemento fundamental para que cada pessoa, independentemente do seu funcionamento neurológico e do seu papel, possa sentir-se parte de uma comunidade e crescer com ela, contribuindo ativamente para a criação de um ambiente inclusivo, aberto e inovador.

 

 

Fabrizio Acanfora, responsável de Comunicação e Relações Externas da Specialisterne Itália.